Propostas recebidas para aquisição de Serviços de formação-ação

No seguimento da abertura do concurso público (publicação de 21-04-2021) para aquisição de serviços de formação-Ação, relacionados com a gestão da formação e coordenação pedagógica no Âmbito dos projetos designados por:

  • Lote 1 – “DINAMIZAR” POCI-03-3560-FSE-00572, foi rececionada a 22-04-2021 uma proposta da empresa Consulset – Consultoria e Marketing, S.A.
  • Lote 2 – “QI PME” POCI-03-3560-FSE-00573, foi rececionada a  22-04-2021 uma proposta da empresa Consulset – Consultoria e Marketing, S.A.

Concurso público para aquisição de serviços de formação-ação

Aquisição de Serviços de Formação-Acção, relacionados com a gestão da formação e coordenação pedagógica no âmbito dos projectos designados por Lote 1 – «DINAMIZAR» POCI-03-3560-FSE-00572  e Lote 2 – «QI PME» POCI-03-3560-FSE-00573

As entidades interessadas poderão apresentar a sua proposta no prazo de 5 dias, a contar da data da presente publicação.

1 – IDENTIFICAÇÃO E CONTACTOS DA ENTIDADE ADJUDICANTE

Designação da entidade adjudicante: Associação Empresarial de Soure
NIPC: 505158914
Pessoa de contacto: Secretário Geral
Endereço: Edifício INES sala 0.1 – Quinta da Coutada
Código postal: 3130-590 Soure
Localidade: Soure
País: PORTUGAL
Endereço Eletrónico: geral@aesoure.pt

2 – OBJETO DO CONTRATO
Designação do contrato: Serviços de Formação-Ação para PME, 2º Ciclo.
Descrição sucinta do objeto do contrato: Aquisição de serviços de para implementação de projeto designado por:
Lote 1 – «DINAMIZAR» POCI-03-3560-FSE-00572, no montante de €22.000,00 (Vinte e dois mil euros) acrescido de IVA, se devido, à taxa legal em vigor;
Lote 2 – «QI PME» POCI-03-3560-FSE-00573, no montante de 21.500,00 (Vinte e um mil e quinhentos euros) acrescido de IVA, se devido, à taxa legal em vigor;
Tipo de Contrato: Aquisição de Serviços
Preço base do procedimento:
Lote 1 – «DINAMIZAR» POCI-03-3560-FSE-00572, no montante de €22.000,00 (Vinte e dois mil euros) acrescido de IVA, se devido, à taxa legal em vigor;
Lote 2 – «QI PME» POCI-03-3560-FSE-00573, no montante de 21.500,00 (Vinte e um mil e quinhentos euros) acrescido de IVA, se devido, à taxa legal em vigor;
Objeto principal: gestão da formação e coordenação pedagógica

3 – INDICAÇÕES ADICIONAIS
O contrato envolve aquisição conjunta (com várias entidades)? Não
Contratação por lotes: Sim
O contrato é adjudicado por uma central de compras: Não
O concurso destina-se à celebração de um acordo quadro: Não
É utilizado um leilão eletrónico: Não
É adotada uma fase de negociação: Não 

4 – ADMISSIBILIDADE DA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS VARIANTES: Não

5 – DESIGNAÇÃO
Projetos: Lote 1 “Dinamizar” –  Lote 2 “QI PME”

6- LOCAL DA EXECUÇÃO DO CONTRATO
Associação Empresarial de Soure
País: PORTUGAL
Distrito: Coimbra e Leiria
Concelho: Todos
Freguesia: Todas

7- PRAZO DE EXECUÇÃO DO CONTRATO

Prazo: Lote 1 – Até 31/12/2022  – Lote 2  – Até 31/12/2022
O contrato é passível de renovação? Não

8 – DOCUMENTOS DE HABILITAÇÃO
8.1 – Certificação/acreditação DGERT: Sim
8.2 – Outra documentação exigida no programa de concurso: Sim

9 – ACESSO ÀS PEÇAS DO CONCURSO, PEDIDOS DE PARTICIPAÇÃO E APRESENTAÇÃO DAS PROPOSTAS
9.1 – Consulta das peças do concurso
Designação do Email e morada da entidade adjudicante onde se encontram disponíveis as peças do concurso para consulta dos interessados:
Email: geral@aesoure.pt
Endereço: Edifício INES sala 0.1 – Quinta da Coutada
Código postal: 3130-590 Soure
Localidade: Soure
País: PORTUGAL
Endereço Eletrónico: www.aesoure.pt
9.2 – Fornecimento das peças do concurso, apresentação dos pedidos de participação e apresentação das propostas 

10 – PRAZO PARA APRESENTAÇÃO DAS PROPOSTAS
Cinco (5) dias úteis
Até às 23:59 do dia 28 de abril de 2021, a contar da data de envio do presente anúncio

11 – PRAZO DURANTE O QUAL OS CONCORRENTES SÃO OBRIGADOS A MANTER AS RESPETIVAS PROPOSTAS
180 dias a contar do termo do prazo para a apresentação das propostas 

12 – CRITÉRIO DE ADJUDICAÇÃO
Adjudicação é feita de acordo com o critério da proposta economicamente mais vantajosa para a entidade adjudicante, em que:
a) Qualidade técnica da proposta. (70%);
b) Preço (30%);

13 – PRESTAÇÃO DE CAUÇÃO: Não

14 – OUTRAS INFORMAÇÕES
Serão usados critérios ambientais: Não.

 15 – IDENTIFICAÇÃO DO AUTOR DO ANÚNCIO
Nome: Carlos Manuel Morais Viera Cordeiro
Cargo: Presidente da Direção

Poderá obter a documentação referente ao concurso clicando nos seguintes links:
Programa de Concurso
Caderno de Encargos

Ou
solicitando envio de documentação através do email: geral@aesoure.pt

Sessão de Esclarecimento “O impacto da Covid-19 nas micro, pequenas e médias empresas”

AESOURE associou-se à iniciativa da AESL – Associação Empresarial Serra da Lousã e da OCC – Ordem dos Contabilistas Certificados, para realização de uma sessão de esclarecimento sobre “O impacto da Covid-19 nas micro, pequenas e médias empresas”.

O Evento será realizado ONLINE
O evento pode ser acompanhado em direto ou posteriormente, em diferido, no canal da Ordem no YouTube.

🗓 Dia: 20 de abril
⏰ Pelas: 16h00
👉 Contaremos com a presença de vários presidentes das associações empresariais da região de Coimbra e com a bastonária da Ordem dos Contabilistas Certificados ( Dr.ª Paula Franco) e todos de uma forma objetiva e clara vão abordar temas como: os apoios Covid disponíveis para as empresas, ponto de situação do apoios e quais as perspetivas para o futuro da nossa economia.
Associações Empresariais associadas ao evento:
  • ACIBA (Mealhada – Mortágua – Penacova)
  • ACIFF (Figueira da Foz)
  • ADEC (Condeixa)
  • AEC ( Cantanhede)
  • AEDP (Poiares)
  • AEM (Mira)
  • ASOURE (Soure)
  • ADPBC (Baixa de Coimbra)
  • CEMC (Miranda do Corvo)
  • NEP (Penela)
  • ADI (Oliveira do Hospital)

Associações empresariais alertam para os preços dos combustíveis insuportáveis

As Associações Empresarias da região de Coimbra, dos territórios de Soure,  Penela, Penacova, Mortágua, Mealhada, Vila Nova de Poiares, Figueira da Foz, Miranda do Corvo, Góis e Lousã, que dão voz a um vasto conjunto de pequenas e médias empresas da região de Coimbra, tomam posição conjunta onde demonstram uma profunda preocupação face aos sucessivos aumentos dos combustíveis e alertam que a manterem-se aos atuais preços dos combustíveis se torna muito difícil a retoma económica.

Desde fins de 2020, até hoje, os preços dos combustíveis aumentaram 17 semanas consecutivas, em Portugal verifica-se que a margem bruta das gasolineiras é de quase mais 5 cêntimos por litro do que no resto da Europa, o que ajuda a explicar que, por exemplo, em janeiro, o preço médio antes de impostos da gasolina 95 em Portugal fosse o terceiro mais alto de toda a União Europeia. Se compararmos os preços dos combustíveis com os salários mínimos, de cada um dos países da UE, verifica-se uma brutal disparidade entre Portugal e a maioria dos países da UE, o que desde logo retira competitividade à nossa economia, o que nos empobrece a todos, pois o combustível representa uma % muito grande do orçamento de muitas famílias.

Sendo a região de Coimbra, e principalmente os territórios que estas oito associações empresariais representam, um território que se carateriza por mais de 95 % de pequenas e médias empresas, estes sucessivos aumentos dos preços dos combustíveis, traduzem-se em graves problemas, que comprometem o bom funcionamento e a competitividade destas empresas, agravado pela atual situação do país, reflexo da Pandemia.

De acordo com Bruxelas, o nosso país tem dos combustíveis mais caros da Europa, sendo a “fatia do Estado” (carga fiscal) o principal responsável para que os preços dos combustíveis em Portugal sejam tão elevados.

Os impostos sobre os combustíveis têm um peso de 60% no preço de venda final ao público, o que significa que por cada 100 euros gastos em gasolina 60 euros vão diretamente para o Estado.

Esta carga fiscal sobre os combustíveis impõe impactos altamente negativos para a nossa economia, que a curto e médio prazo resultará em aumentos sucessivos nos preços de venda de todos os produtos e serviços. Esta necessidade de as empresas aumentarem os seus preços, choca com a capacidade dos clientes suportarem mais aumentos de preços, e como consequência originará graves problemas financeiros para todas as empresas em Portugal.

É URGENTE que o Estado Português, tome medidas no sentido de ajustar a carga fiscal dos combustíveis às capacidades económicas do país.  E quando tanto se incentiva as compras no Digital/On-Line, torna-se insuportável quer para as empresas quer para o público, em geral, suportar os elevados custos de distribuição indexados sempre aos preços dos combustíveis.

No entendimento destas associações empresariais, que subscrevem a presente tomada de posição, consideram impossível delinear uma retoma da economia com a atual inércia do Estado, face aos aumentos sucessivos dos preços dos combustíveis.

Face ao exposto, as empresas sentem-se a estrangular, é assim imperativo olhar para o aumento dos combustíveis e para o seu um impacto extremamente negativo e, urge a tomada de medidas por parte do Estado.

Pin It on Pinterest