Protocolo de Cooperação para o Empreendorismo

A Associação Empresarial de Soure assinou um Protocolo de Cooperação para o Empreendedorismo com a organização sem fins lucrativos – Novos Percursos.

Tendo por objetivos a promoção do empreendedorismo, combate ao desemprego e o crescimento económico, pretende-se apoiar a criação de novas empresas e do próprio emprego por parte de desempregados, sobretudo as populações com maiores dificuldades de acesso ao mercado de trabalho.

Este protocolo visa a dinamização de um programa que contempla as seguintes medidas:

  • Apoios à criação de empresas – medida de apoio à criação de empresas de pequena dimensão, com fins lucrativos, independentemente da respetiva forma jurídica, incluindo entidades que revistam a forma de cooperativa, que contribuam para a dinamização das economias locais;
  • Programa Nacional de Microcrédito, no âmbito do Programa de Apoio ao Desenvolvimento da Economia Social (PADES) – medida concretizada pela Cooperativa António Sérgio para a Economia Social (CASES);
  • Apoio à criação do próprio emprego por beneficiários de prestações de desemprego – medida de apoio a projetos de emprego promovidos por desempregados subsidiados, desde que os mesmos assegurem o emprego, a tempo inteiro, dos promotores.

O atendimento e triagem de possíveis projetos candidatos tem início na Associação Empresarial de Soure e a Novos Percursos dará o apoio técnico no acompanhamento e concretização de todo o processo

“Soure, Natal Tradicional é no Comércio Local”

 

Sob o mote ‘Soure, Natal Tradicional é no Comercio Local’ a Câmara Municipal de Soure, em parceria com a AESoure – Associação Empresarial de Soure, promovem a sua campanha de Natal 2021.

Com arranque marcado para 1 de dezembro, a campanha ‘Soure, Natal Tradicional é no Comercio Local’ tem por objetivo de dinamizar o comercio local, potenciador da economia local, atraindo famílias e entusiasmando os mais novos, assumindo-se seguramente como um marco no Natal de todos os munícipes e visitantes do concelho.

Sendo o Natal um tempo de tradição, partilha, emoção, encontros e cumplicidade de gerações a campanha terá como principal protagonista o renovado Mercado Municipal que continua a ter um valor inestimável para as gentes da terra que sempre o denominaram de “A Praça”.

Depois de dois anos de obras de requalificação, a quadra que se aproxima apresenta-se como o momento em que o Mercado Municipal renasce e renasce com um novo conceito. Um conceito mais moderno, atrativo, funcional, que será o ponto de encontro intergerações privilegiado de Soure. Será nesta nova Praça que o município vai proporcionar novas vivências culturais e urbanas, sempre com a preocupação de manter um estilo de vida mais saudável, que se estenderão para as ruas da vila de Soure.

É a Praça, que já está a ser preparada para acolher a Casa do Pai Natal, música, mostra de gastronomia entre outras atividades que serão dinamizadas nas ruas da vila de Soure e freguesias do concelho entre 01 de dezembro de 2021 e 06 de janeiro de 2022. Ao cair da noite a população poderá deixar-se encantar com as iluminações de Natal que enchem de luz e cor o concelho. Mas celebrações festivas de Natal não ficarão por aqui.  A magia do Natal irá passar à porta dos munícipes num cortejo natalício irá desfilar pelas ruas das freguesias do concelho.

Votos de boas festas!

AESoure reuniu em Assembleia Geral para apresentar Relatório e Contas 2020 e Plano de Atividades e Orçamento 2022

A AESOURE (Associação Empresarial de Soure) reuniu no passado dia 26-10-2021, na sua sede, para apreciação e deliberação do Relatório de Contas relativo ao exercício de 2020 e Plano de Atividades e Orçamento relativo ao ano de 2022.

O Presidente da Assembleia Geral, António Simões Cardoso (Instituto Pedro Hispano), presidiu e orientou os trabalhos que se iniciaram pelas 21H30 em segunda convocatória.

Carlos Cordeiro, Presidente da Direção da AESOURE manifestou a sua preocupação com as consequências provocadas pela Pandemia Covid 19 assumindo, no entanto, os esforços desenvolvidos pela AESOURE na apresentação de soluções de financiamento às empresas do Concelho, através do Gabinete de Apoio à Empresa/Empreendedor, e na execução dos diversos Programas de Desenvolvimento Empresarial (a Formação-Ação e a Formação Modular).

Stéphane Santos-Ramos (Secretário-Geral) apresentou o Relatório e Contas de 2020, tendo resumido as atividades desenvolvidas pela Associação durante o referido ano. As contas foram submetidas a votação e aprovadas por unanimidade. Relativamente às contas referentes a 2020, a AESOURE apresentou um resultado líquido do período positivo de 49.006,14 euros.

Tomando novamente a palavra, o Presidente de Direção relembrou a importância da AESOURE na defesa dos interesses relativos às atividades de comércio, indústria e serviços, competindo à Associação promover e praticar tudo quanto possa contribuir para o respetivo progresso económico ou social. Assim, a Direção da AESOURE prevê que 2022 seja um ano de recuperação económica pelo que as grandes opções para o Plano de Atividades estão centradas em preparar e apoiar o relançamento da economia, com iniciativas e projetos que estimulem o investimento nos fatores de competitividade da economia regional. Desta forma a AESOURE integrará programas de apoio/estimulo à iniciativa empresarial, que se enquadrem nos objetivos e prioridades definidas para o novo quadro comunitário de apoio e projetos de apoio à economia e formação.

De acordo com a informação apresentada pelo Secretário-Geral, uma parte significativa do orçamento vai as áreas da formação e consultoria, por via de projetos direcionados para as PME’s dos setores do comércio e serviços, em parceria com a CCP (Confederação de Comercio e Serviços de Portugal), e para o setor da indústria e turismo, em parceria com o CEC (Câmara de Comercio e Indústria da Região Centro), sendo uma ferramenta para potenciar as empresas do Concelho de Soure. Destaca-se ainda a continuidade do projeto Formação Modular para ativos Empregados e Desempregados cujo objetivo assenta na capacitação técnica dos recursos humanos, com claros proveitos para empresas.

Em jeito de conclusão o Presidente da Direção da AESOURE realçou o papel de destaque da Associação enquanto membro fundador do Concelho Empresarial da Região Centro, que envolve 13 associações da região, e a qual foi presidente no primeiro trimestre de funcionamento.  Num período que se prevê repleto de desafios o papel do CERC poderá ser determinante na sensibilização junto de entidades Nacionais e Europeias a adotarem medidas através de mecanismos de apoio financeiro adequado, contribuindo assim para reduzir as assimetrias regionais.

Programa Adaptar Turismo – Apresentação de candidaturas para apoios a fundo perdido até 20 mil euros.

O Programa Adaptar Turismo, destinado a micro, pequenas e médias empresas do setor afetadas pela pandemia, conta com uma dotação de cinco milhões de euros para apoios a fundo perdido até 20 mil euros.

O Adaptar Turismo tem por objetivo apoiar as empresas do turismo no esforço de adaptação e de investimento nos seus estabelecimentos, permitindo ajustar os métodos de organização no trabalho e de relacionamento com clientes e fornecedores ao contexto pós-Covid-19.

Segundo as regras hoje publicadas, serão apoiados projetos com uma despesa mínima de 2.500 euros e uma duração máxima de execução de 12 meses, que não estejam iniciados à data da apresentação da candidatura ao apoio. Entre os projetos elegíveis estão os custos com a requalificação, modernização e ampliação dos espaços existentes, incluindo obras de adaptação, que permitam responder a necessidades decorrentes da pandemia da doença covid-19 e aquisição e instalação de dispositivos de pagamento automático, incluindo sistemas de self-check-in e self-check-out, preferencialmente os que utilizem tecnologia contactless.

As despesas com a intervenção de contabilistas certificados ou revisores oficiais de contas, na validação da despesa dos pedidos de pagamento, até ao valor de 15% do valor do investimento e com o limite de 2.500 euros, estão também abrangidas pelos apoios.

Os apoios são atribuídos sob a forma de subvenção não reembolsável, ou seja, a fundo perdido. Têm um limite de 75% das despesas elegíveis, até um máximo de 15 mil euros por empresa. Estes tetos podem ser alargados, «no caso das empresas que estiveram encerradas administrativamente no contexto da situação da pandemia» e que tenham atividade principal como bares, discotecas ou parques de diversão. Nesses casos, o limite dos apoios passa a ser de 85% das despesas elegíveis, até um máximo de 20 mil euros por empresa.

Consulte o Despacho Normativo n.º 24/2021

Pin It on Pinterest